24 C
São Gonçalo
sábado, novembro 28, 2020
Publicidade
Publicidade
Publicidade"
Publicidade

Profissionais de Educação de Maricá fazem teste para detectar Covid-19

Leia Mais

Dimas e Marlos fazem ‘Carreata da Verdade’

Faltando pouco mais de 24 horas para a eleição do segundo turno, Dimas e Marlos percorreram a cidade na 'carreata da verdade'. Candidatos da coligação...

Menor é flagrado com pó, maconha e crack em Vista Alegre

Um jovem, de 17 anos, foi apreendido por policiais do 7BPM (São Gonçalo) em Vista Alegre, na noite desta sexta-feira (27). Os PMs faziam patrulhamento...

Capitão Nelson (Avante) se reúne com empresários e faz carreata nesta sexta (27)

No último dia útil de campanha, candidato dá o gás final de olho nas urnas, para mudar São Gonçalo. Candidato à prefeitura de São Gonçalo,...

Orla de Itapeba é revitalizada

Quatro meses depois do Parque Nanci, a orla do bairro vizinho de Itapeba, foi entregue à população nesta sexta-feira (27/11) pela Prefeitura de Maricá. A...

As secretarias de Saúde e de Educação de Maricá iniciaram nesta semana uma testagem coletiva para detectar o novo coronavírus, voltada a todos os profissionais que atuam em escolas do município, sejam da rede pública (municipal e estadual) ou particular. A ação, que vai até o dia 30 deste mês, beneficia professores, coordenadores, dirigentes de turno e também as equipes de apoio (merendeiras, pessoal de secretaria e de limpeza). A expectativa é que cerca de 5.700 pessoas passem pela testagem, que acontece das 9h às 17h em um laboratório no Centro da cidade.

De acordo com a secretária de Saúde Simone da Costa, o objetivo é criar um mapa virológico da educação no município, que vai orientar os próximos passos no setor. “Este é um trabalho pioneiro em nosso estado e, através dele, poderemos saber também quem já se infectou com o vírus anteriormente”, esclareceu, lembrando que a ação tem apoio técnico da Universidade Federal do Rio de Janeiro UFRJ).  Uma nova testagem está prevista antes do retorno às aulas, o que deve ocorrer em fevereiro.

“Vamos ter exames nos alunos por amostragem. Estamos conversando com a universidade e a tendência é fazermos o teste através da saliva, que tem a mesma eficácia e não é algo invasivo para eles. Os protocolos de distanciamento nas escolas também já foram definidos”, lembrou Simone.

Já a secretária de Educação, Adriana Luísa da Costa, reforçou que será a pasta da Saúde que vai determinar se há condição para reabertura das unidades e que este trabalho será decisivo.

“Como não temos uma perspectiva de vacina disponível nos próximos meses, já decidimos que, uma vez permitido o retorno, teremos ensino híbrido (parte em cada, parte na escola) e que as aulas presenciais serão opcionais para cada um. Para isso, precisamos verificar a condição também de cada profissional”, ressaltou Adriana, que explicou também o motivo do início da testagem pela rede privada.

“Primeiro porque era uma cobrança que nos faziam enquanto governo e, depois, isso veio de encontro com a filosofia que a gestão adota, que é a visão territorial das ações. Trabalhamos envolvendo toda a comunidade, todos os moradores, sem distinção. E neste caso específico temos o dever de preservar a vida das pessoas”, pontuou.

Entre os profissionais que procuraram o laboratório nos primeiros dias, tinha gente realizava o teste pela primeira vez desde o início da pandemia, em março. Foi o caso da professora Deisilane da Silva Figueiredo, de 36 anos, que atua no CAIC Elomir Silva, em São José de Imbassaí.

“Já tinha tentado antes, mas não consegui, então esse é o primeiro teste faço, mas eu também saí pouco de casa nesse período. Acho importante porque nos tranquiliza”, afirmou ela. Também do CAIC, a mediadora pedagógica Leidiane Ramalho da Silva contou que já havia testado positivo para a Covid-19 e também exaltou a importância da ação. “Depois que me recuperei, voltei à escola para a distribuição das cestas básicas, que ainda estamos realizando. Com essa testagem, podemos tranquilizar também nossas famílias e saber o risco que corremos”, avaliou e servidora, que tem 31 anos.

Atuando na rede privada de ensino, a professora Juliana Monnerat Rocha também aprovou a iniciativa do governo municipal. “Isso dá mais segurança para nós e nossas famílias. Nós que temos filhos, então, é que não podemos facilitar mesmo. Muito bom o que a prefeitura está fazendo”, elogiou a profissional, que dá aulas no Colégio Prima, no Centro.

 

Powered by Rock Convert
SourceASSCOM

Notícias Relacionadas

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

Buraco do Mariola é reaberto nesta sexta-feira (27)

Constantes engarrafamentos, assaltos, lixos, ratos e muita indignação.Tudo isso é coisa do passado, pois foi reaberta, na manhã desta sexta-feira (27/11), a passagem subterrânea...

MC Poze é abordado por PMs e responde: ‘Nós tá limpão’. Confira o vídeo:

Nesta sexta-feira (27), o funkeiro conhecido com Mc Poze do Rodo, de 20 anos, foi abordado por policiais militares enquanto seguia para a praia. Em...

Operação garante resgate de animais silvestres em São Gonçalo

Em uma ação conjunta entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e o Comando de Polícia Ambiental (Cpam), 44 aves silvestres e uma iguana...

Anitta deixa escapar segredo em stories: ‘Doida pra dar’

Na última quinta-feira (26), durante um evento com alguns famosos e influenciadores, a cantora Anitta deixou escapar um segredo nos stories da blogueira Thaynara...

Jovem é feita refém e baleada pelo ex-namorado em Valença ( confira o vídeo)

Na manhã desta sexta-feira (27), uma jovem foi baleada após ser mantida refém pelo ex-namorado, policial militar, no campus da Fundação Educacional Dom André...