20.9 C
São Gonçalo
quinta-feira, julho 18, 2024

Maricá: Mais 200 protetores de animais foram incluídos no MumbuCão

Foto: Divulgação

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Proteção Animal, ampliou o programa “MumbuCão” ao incluir mais 200 protetores que cuidam de cães e gatos resgatados nas ruas da cidade. Os novos beneficiários foram recebidos neste sábado (16/03) no Centro de Artes e Esportes Unificados (CEU), na Mumbuca. Com a ampliação, o “MumbuCão” passa a ter ao todo 503 protetores inscritos. O auxílio financeiro, cujo valor já estava nas contas no mesmo dia, é pago em moeda social Mumbuca para a compra de medicamentos, vacinas e ração para os animais resgatados das ruas.

O prefeito Fabiano Horta participou da solenidade realizada na quadra do CEU, que estava lotada. Ele fez questão de garantir aos presentes que o MumbuCão é um benefício permanente, que será mantido nos próximos anos mesmo ao fim do ciclo dos royalties do petróleo no município, através do Fundo Soberano de Maricá.

“O que estamos realizando aqui hoje é afirmar o direito da proteção animal na cidade, o que é fruto da luta de homens e mulheres que se dedicam a proteger a vida. Não há amor mais genuíno e pleno do que o dos nossos bichos. O Brasil só será grande como nação quando tiver a clareza de que cuidar dos animais seja uma plenitude no país. Viva a causa animal, viva o MumbuCão!”, aclamou o prefeito.

O secretário de Proteção Animal de Maricá, Fabiano Novais, agradeceu à sua equipe de trabalho pela dedicação e se emocionou ao lembrar das dificuldades vividas antes da concretização do programa.

“De todos os programas do governo, este é diferenciado porque representa aqueles que não têm voz e não podem estar aqui para reivindicar, além de estar virando referência para outros municípios. É um reconhecimento para toda a luta de cada protetor que está aqui”, destacou Novais.

Alguns desses protetores de animais subiram ao palco para representar os outros beneficiados. Entre eles estava Heloísa Helena da Silva, de 69 anos, que considerou uma glória a chegada do MumbuCão. “São muitos anos resgatando esses bichinhos lá em Cordeirinho, onde eu moro. Hoje cuido de nove cães, sendo dois diabéticos, e a ração para esses especialmente custa por volta de R$ 150. Então, o programa é uma ajuda inestimável para nós”, reforçou ela.

Morador do Centro, Ivan Rocco também saiu feliz do local por ter recebido seu cartão. “Agora fica mais tranquilo para compramos alimentação e acertar as vacinas dos nossos bichos. É um programa muito importante para nós”, afirmou ele, que cuida de 25 cães em sua casa.

Uma das incentivadoras da iniciativa, a cuidadora Thereza de Jesus contou que, mesmo não sendo ela uma das beneficiadas, sua sensação também era de realização. “O programa ainda vai crescer, tenho certeza, mas já é uma vitória muito grande ter tanta gente e tantos animais já sendo protegidos por este programa. Me sinto realizada depois de mais de dez anos de luta por isso”, revelou a protetora de 30 animais atualmente. “Já tive mais de 60 em outros tempos”, garantiu.

Proteção a cães e gatos

Criado em dezembro de 2022, o programa “MumbuCão” é um auxílio financeiro concedido a protetores e adotantes de cães e gatos para comprarem medicamentos, vacinas e ração para os animais. O valor varia de 70 mumbucas (equivalente a 70 reais) para animal de pequeno porte; 100 mumbucas (100 reais) para os de médio porte; e 130 mumbucas (130 reais) para os de grande porte. O valor será limitado a 1.300 mumbucas e 10 animais por pessoa, pago por até um ano.

Os protetores atuam no resgate e disponibilização de cães e gatos para a adoção fornecendo lar temporário, cuidando da saúde e participando de programas de controle reprodutivo do município. Para participar, eles deverão residir na cidade há pelo menos três anos, estar cadastrados na Coordenadoria, que fará visitas periódicas para avaliação das condições do espaço, abrigo, salubridade, alimentação, saúde e estabelecer os números de animais por espécies (cães e gatos) e condições adequadas que garantam o bem-estar dos animais e das pessoas residentes no local.

No caso dos adotantes, apenas os cadastrados no CadÚnico terão direito ao benefício. O beneficiário deverá cumprir uma série de requisitos: ser maior de 18 anos, estar em dia com as obrigações civis e militares, não responder a crimes praticados contra animais, a administração pública e meio ambiente e não estar privado da liberdade por motivo de doenças ou sanções penais.

Matérias Relacionadas

plugins premium WordPress