19.4 C
São Gonçalo
terça-feira, julho 16, 2024
Foto: Divulgação

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Políticas e Defesa dos Direitos das Mulheres de Maricá, realizou nesta sexta-feira, 08/03, uma comemoração pelo Dia Internacional da Mulher, na Praça Conselheiro Macedo Soares, no Centro. Centenas de mulheres participaram da atividade, entre ativistas, e pessoas assistidas na Casa da Mulher e moradoras da cidade convidadas.

“Essa é uma tradição desde 2010. Esse ato tem o apoio dos movimentos sociais. Eles constroem esse ato conosco porque nós entendemos que quando a gente se une, nós somos mais fortes. E a proposta é não só divulgar, entregar uma série de políticas públicas, mas marcar essa data para o que ela realmente significa: um dia de luta, um dia de reflexão, e não só de celebração, não só de pelo que lutar”, declarou a Secretária de Políticas e Defesa dos Direitos das Mulheres de Maricá, Luciana Piredda.

Durante o evento, foram assinados um termo de cooperação técnica com a CODEMAR para a implantação do aplicativo Maria da Penha, denominado “Ela Protegida”, que vai garantir a agilidade das mulheres na denúncia dos casos das situações de violência, e será responsável por monitorar dados e fazer a interface com vários órgãos, como a delegacia, a justiça e a defensoria; um termo de cooperação mútua com a Secretaria de Assuntos Religiosos para a implantação do projeto “Tirando as mordaças da frente”, voltado para as mulheres, especialmente as evangélicas, que têm muita dificuldade de denunciar os casos de violência; e um termo de intenção com a Secretaria de Ciência e Tecnologia para facilitar o acesso das mulheres aos programas de formação educacional e técnica.

‘Na semana que vem a Câmara vai votar a alteração da lei que rege o Conselho da Mulher, possibilitando que a gente recomponha o Conselho. Se assim for, vamos publicar a alteração no Decreto 824, que criou a Rede Mulher, e aí com o advento da Secretaria de Mulheres, nós apresentamos uma alteração para a inclusão da Secretaria de Mulheres e de outras secretarias, como Assistência Social, Educação, Ciência e Tecnologia, Segurança Pública, Trabalho”, completou Luciana.

Subsecretária de Políticas Inclusivas, Fernanda Spitz, falou sobre a luta em defesa da mulher, contra a violência e por direitos igualitários.

“A maioria dos projetos revolucionários em Maricá foram criados por mulheres. E como hoje é um dia de anúncios, eu quero anunciar que nós, da Secretaria de Políticas Inclusivas, fechamos um contrato com a FIRJAM para qualificação profissional de pessoas em ampla vulnerabilidade e a Casa da Mulher, as mulheres vítimas de violência, jovens que queiram participar têm sua vaga garantida em diversos cursos que estaremos iniciando no final do mês”, informou Spitz.

A primeira dama, Rosana Horta também esteve presente. “Ontem eu conversava com uma amiga e nós falávamos do nosso sofrimento, dessa coisa de que a gente tem que ser guerreira 24 horas, o tempo todo estar rindo, mas a vida não é assim. De tudo o que a gente tem feito na vida, pra mim, o mais importante é nós mulheres nos respeitarmos. Parar com essa coisa de competição. A gente precisa parar de competir. A gente precisa se amar, olhar pro lado e dizer pra nossa amiga: você consegue. Infelizmente, a gente ainda não tem isso nos nossos corações. A vida é difícil pra todo mundo”, disse Rosana.
Integrante da Guarda Municipal de Maricá, que está vinculada à Secretaria de Ordem Pública e Gestão de Gabinete Institucional (Seop), Letícia Flor, explicou que a corporação atua em parceria com a Casa da Mulher e a Secretaria de Política para as Mulheres.

“Hoje em dia nós atuamos com duas viaturas por dia, 24 horas, todos os dias da semana e para quem não conhece e sabe de alguém que precisa do nosso auxílio, nosso número é 153. No momento, não há nenhuma notícia de uma mulher sofrendo violência aqui em Maricá. Por isso que estamos presentes aqui”, pontuou.

Matérias Relacionadas

plugins premium WordPress