23.5 C
São Gonçalo
terça-feira, junho 25, 2024

Niterói celebra relação com cidade Jinju na abertura da exposição Luzes da Coreia

Iluminada pelas lanternas Shenzhen, a noite contou com músicas brasileiras e coreanas, cantoria do embaixador coreano, comidas típicas e ritual de dança

Niterói celebra relação com cidade Jinju, da Coreia do Sul, na abertura da exposição Luzes da Coreia
Niterói celebra relação com cidade Jinju, da Coreia do Sul, na abertura da exposição Luzes da Coreia
Sob a curadoria da jornalista Ana Cláudia Guimarães, essa é a maior exposição de arte da Coreia do Sul já realizada no Brasil (Foto: Alex Ramos)

A cidade de Niterói viveu uma noite mágica no último sábado (08), com a inauguração da exposição “Luzes da Coreia – Festival de Lanternas de Jinju” no Museu de Arte Contemporânea (MAC). O evento, repleto de tradições coreanas e brasileiras, marcou a celebração do termo de Cidades Irmãs entre Niterói e Jinju, na Coreia do Sul, assinado pelo prefeito Axel Grael e o vice-prefeito de Jinju, Lim Ki-mo.

“Há cinco anos, iniciamos uma parceria com o governo da Coreia em Seoul, que foi fundamental para o desenvolvimento do nosso plano diretor de cidade inteligente. Agora, estreitamos ainda mais esse laço com Jinju. Agradecemos à Ana Cláudia por construir essa ponte entre nossas cidades com esta bela exposição”, afirmou Axel Grael.

Sob a curadoria da jornalista Ana Cláudia Guimarães, a exposição é a maior mostra de arte coreana já realizada no Brasil. A estrela da noite foi o túnel com 1.200 lanternas Shenzhen, tradicional símbolo do Festival de Lanternas de Jinju, que ocorre desde os anos 1500.

No sábado, véspera da abertura, o MAC Niterói e o Cristo Redentor foram iluminados simultaneamente com as cores da bandeira da Coreia do Sul – vermelho e azul. Uma ação de videomapping transformou o Cristo em uma figura vestida com um hanbok, traje típico coreano.



continua depois da publicidade



A noite contou com momentos especiais, como a performance do embaixador Ki-Mo Lim, que cantou “Evidências” de Chitãozinho & Xororó e “Tá Escrito” do Grupo Revelação. O duo de cordas, formado pelo violinista Hyu-Kyung Jung e o violoncelista Eduardo Swerts, apresentou um repertório de clássicos coreanos.

Além das lanternas, a exposição inclui uma enorme lua em 3D, instalações, fotos e vídeos da cidade de Jinju e do Festival Jinju Namgang Yudeung, e trajes típicos Hanboks. A mostra também apresenta o mascote de Jinju, a lontra Hamo, com três metros de altura.

“Esta é uma oportunidade maravilhosa para o povo brasileiro conhecer a história da Coreia contada através das lanternas de Shenzhen e da cidade de Jinju. Espero que este festival fortaleça ainda mais o intercâmbio e a compreensão cultural entre Coreia e Brasil”, declarou o embaixador Ki-Mo Lim.

Durante a cerimônia, as autoridades trocaram presentes simbólicos. Axel Grael recebeu um boneco do mascote de Jinju e o livro “Jinju City of Lights”, enquanto Lim Ki-mo recebeu o livro “Niterói em Fatos e Fotos”.

Estiveram presentes também o diretor do Centro Cultural Coreano, Cheul-Hong Kim, o presidente da Neltur, André Bento, e a presidente da Fundação de Arte de Niterói (FAN), Micaela Costa.

Serviço:

“Luzes da Coreia – Festival de Lanternas de Jinju”

Data: 9 de junho a 25 de agosto

Local: Museu de Arte Contemporânea – MAC Niterói (Mirante da Boa Viagem, s/nº, Boa Viagem, Niterói – RJ)

Horários: Terça a domingo, das 10h às 18h (entrada até as 17h30)

Preços: R$16,00 (Inteira); R$8,00 (Meia-entrada). Gratuidade às quartas-feiras, para quem vai de bicicleta e para moradores de Niterói.

Ingressos: À venda na bilheteria do museu e pelo Sympla: Sympla – MAC Niterói.

Matérias Relacionadas

plugins premium WordPress