25.9 C
São Gonçalo
quinta-feira, abril 18, 2024

Rio Transplantes capta primeiro coração do ano no Hospital Estadual Roberto Chabo, em Araruama

Leia Mais

O primeiro coração captado este ano pelo RJ Transplantes saiu do Hospital Estadual Roberto Chabo, em Araruama. A equipe, que também captou pâncreas, rins, fígado e córneas de um paciente que teve morte encefálica confirmada esta semana, contou com o apoio de um helicóptero da secretaria estadual de Saúde.

Profissionais que integram a Comissão Intra-Hospitalar de Doação de Órgãos e Tecidos para Transplantes do hospital acolheu a família do paciente – que pediu para o seu nome não ser divulgado assim como município de origem — desde a abertura do processo de morte cerebral. Após a realização dos exames exigidos e a assinatura dos médicos no laudo, a doação foi solicitada e autorizada pelos parentes.

— Somos muito grato a família que optou pela doação dos órgãos do ente querido. Quando uma família diz sim à doação de órgãos, ela proporciona uma segunda chance de vida para outras pessoas – garante Michele Guedes, coordenadora do CIHDOTT do Hospital Estadual Roberto Chabo.

A unidade de saúde, referência no atendimento a pacientes com múltiplos traumas para nove municípios da Região dos Lagos, ocupou o primeiro no ranking de captação de órgãos na região. Em seguida ficaram as cidades de Campos, Macaé, Itaperuna, Maricá, Bom Jesus, Cabo Frio e Saquarema.

Em 2023, o Hospital Roberto Chabo realizou 40 notificações sobre possíveis doadores ao Rio Transplantes. Deste total, 15 familias disseram sim a doação. “Conseguimos avançar e muito no ano passado. Os órgãos captados na unidade beneficiaram cerca de 200 pessoas que aguardavam na fila do transplante”, garante Michele Guedes.

Histórico — Em maio do ano passado, o Hospital Estadual Roberto Chabo, realizou – pela primeira vez – uma captação de pulmão. Uma verdadeira força-tarefa foi montada logo após o início do protocolo de morte cerebral de uma estudante do curso de administração vítima de um Acidente Vascular Cerebral (AVC).

O procedimento, considerado de altíssima complexidade, também recebeu apoio do helicóptero do RJ Transplantes. A logística contou, ainda, com apoio de médicos, enfermeiros e técnicos de enfermagem, além do Corpo de Bombeiros, da Polícia Militar e da equipe administrativa do hospital.

Além do pulmão, a equipe de transplante também fez a captação de coração, fígado, pulmões, rins, córneas e ossos. Todos os órgãos captados foram doados para pacientes que necessitam de um transplante e estavam aguardando em lista única, definida pela Central de Transplantes da Secretaria de Estado de Saúde e controlada pelo Sistema Nacional de Transplantes.

Notícias Relacionadas

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

plugins premium WordPress