28.6 C
São Gonçalo
terça-feira, junho 18, 2024

Projeto social transforma lixo em livros e atividades para crianças e jovens na comunidade do Bichinho, em São Gonçalo

Fotos: Projeto Social “Reciclando Através da Leitura e do Esporte” / Arquivo Pessoal / Divulgação

A situação de abandono da comunidade do Bichinho, no município de São Gonçalo, sempre incomodou Roberta de Jesus Costa, de 38 anos. Nascida e criada no local, ela se sentia mal por ver o seu bairro sem asfalto, sem opções de lazer e tomado pelo acúmulo de lixo.

Em um sábado, Roberta assitia a uma reportagem no programa “Caldeirão do Huck”, na TV Globo, onde um homem ajudou fez um projeto para sua comunidade e, inspirada pelo gesto, decidiu criar se eu próprio projeto.

“Se ele fez alguma coisa pela comunidade dele, eu também quero tentar fazer pela minha”, pensou.

Assim nasceu, em março de 2019, a ideia do Projeto Social “Reciclando Através da Leitura e do Esporte”, em que Roberta recicla o lixo que seria despejado pela população do bairro e usa o dinheiro ganho com a reciclagem para desenvolver atividades de leitura e lazer com as crianças do bairro.

Em um ambiente repleto de dificuldades, o começo do projeto teve suas complicações e muitos moradores não aderiram à ideia de fazer a reciclagem do lixo. “Eu fiz uma reunião com os moradores na nossa rua e dei a ideia de aproveitar o material reciclável para usar o dinheiro na concretagem na rua, que não é asfaltada, mas isso não foi aceito de imediato. As pessoas que vivem a vida inteira num lugar precário como o nosso não aceitam essas iniciativas de imediato, as pessoas falaram que era bobagem”, conta.

Mas Roberta não desistiu. Se os adultos não queriam colaborar, ela investiu na conscientização das crianças. Empregada doméstica, ela pediu dois livros velhos da filha de sua patroa e avisou para as mães do bairro em uma rede social que abriria as portas de sua própria casa para dar aulas de leitura às crianças da localidade. “Eu peguei as crianças da comunidade e fui incentivando as crianças a conscientizarem os pais sobre a reciclagem e como eu utilizaria o dinheiro para levar as crianças para passeios no cinema, em museus, shopping e trazer as coisas boas para o nosso bairro”.

A partir das atividades, as crianças foram conscientizando os pais, os resultados foram aparecendo e o projeto passou a ser mais aceito dentro da comunidade. Os pais das crianças começaram a reciclar o lixo e Roberta levou as crianças para passear em locais como o cinema, o Horto do Fonseca, em Niterói, entre outros locais, tudo pago com o dinheiro da reciclagem feita pelos responsáveis.

Mas Roberta não parou por aí. Uma semana depois, ela decidiu montar uma equipe de futebol feminino para levar lazer ao bairro nos fins de semana. “O objetivo do projeto hoje é conscientizar ainda mais os moradores e levar mais coisas para lá. A gente quer levar aula de reforço, aula de jiu-jitsu, tudo que as outras crianças têm acesso, mas as crianças que moram no Bichinho não têm. E para a família das crianças também ter cursos lá dentro para ajudar a família das crianças também que moram lá e estão completamente esquecidas” sonha Roberta.

Pandemia e incêndio atrapalham projeto

Antes da pandemia, o projeto contava com 22 crianças. Agora, as mães do bairro inteiro procuram o projeto querendo colocar as crianças na “leiturinha” e as próprias mães querem uma vaga no futebol feminino. A leitura funciona aos sábados, de 10h às 12h, e o futebol feminino treina no mesmo dia, de 14h às 16h e no domingo, das 09h às 12h.

Tudo é administrado por Roberta, com a ajuda da amiga e braço direito, Danny Barros. O material reciclável ela recebe em casa com a ajuda do marido e do padrasto. Durante a pandemia, o projeto teve que ser interrompido e os esforços se voltaram à ajudar a população local, com distribuição de cestas básicas e kits de higiene pessoal.

As dificuldades não param por aí. No início de agosto, um incêndio atingiu boa parte do material arrecadado por Roberta e a comunidade do Bichinho. Além disso, o projeto conseguiu um espaço na região para prosseguir com a aula para as crianças, mas o local precisa ser reformado para abrigar um banheiro com um local onde as crianças possam lavar as mãos e ter um pouco mais de conforto.

Como ajudar?

O Projeto Reciclando Através da Leitura tem uma página no facebook, que pode ser curtida neste link. Roberta também aceita doações financeiras para o financiamento do projeto, nos seguintes dados bancários:

Banco Itaú /Agência 0311/ Conta Corrente 45117-3

Matérias Relacionadas

plugins premium WordPress