24.5 C
São Gonçalo
segunda-feira, junho 24, 2024

Conhecida como a ‘Rodovia da Morte’, BR-493, que liga Manilha à Magé, já consumiu R$340 milhões em obra inacabada

*Por Vinícius Oliveira e Marcos Vinicius Cabral

Desde 2014, cerca de R$ 340 milhões em recursos públicos foram investidos em uma obra inacabada que interliga Manilha à Magé. Sob responsabilidade do governo federal, a obra em si, é uma parte esquecida do Arco Metropolitano do Rio, que deveria ser duplicada.

Mas, apesar de ser uma das principais alternativas à Ponte Rio-Niterói, com tráfego pesado de caminhões, a via hoje tem 25 quilômetros de completo descalabro, que expõem motoristas e moradores do entorno ao perigo. Em reportagem especial para o Portal do Lado de Cá, o repórter cinematográfico Vinícius Oliveira mostra, com exclusividade, como os perigos de quem precisa utilizar a BR-493 no dia a dia já estavam presentes no período pré-pandemia do novo coronavírus. Confira:

Dias depois da realização da matéria, numa quarta-feira, dia 06 de maio, três jovens morreram na hora, quando iam para o trabalho, num grave acidente, nessa mesma curva mostrada no final da reportagem. São eles: Jefferson Fontenely e Felipe Pessoa, ambos de 28 anos e Raphael Rocha, 29.

De janeiro a junho deste ano, a “Rodovia da morte” contabiliza cinco acidentes com seis vítimas fatais. Desde março, nenhuma mudança estrutural foi feita na rodovia, que teve apenas a instalação dos chamados “olhos de gato” para orientar os motoristas em alguns trechos.

Matérias Relacionadas

plugins premium WordPress