19.8 C
São Gonçalo
domingo, maio 26, 2024

Rio de Janeiro terá programa de acolhimento e capacitação para pais de pessoas com autismo

Lei do Deputado Guilherme Delaroli foi sancionada pelo Governador Cláudio Castro e publicada no Diário Oficial

Rio terá programa de acolhimento e capacitação para pais de pessoas com autismo
Rio terá programa de acolhimento e capacitação para pais de pessoas com autismo
Deputado Guilherme Delaroli trabalha para melhoria na qualidade de vida de pessoas com autismo e familiares (Foto: Rafael Wallace)

O estado do Rio de Janeiro criará um programa de acolhimento e capacitação para pais ou responsáveis de pessoas diagnosticadas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). A medida é resultado da Lei 10.366/2024, de autoria do deputado estadual Guilherme Delaroli (PL), que foi sancionada pelo governador Cláudio Castro (PL) e publicada no Diário Oficial desta quinta-feira (09/05).

O objetivo do programa é oferecer apoio psicológico e capacitação para famílias de pessoas com TEA, fornecendo suporte emocional e estratégias práticas para lidar com os desafios decorrentes do transtorno. Segundo o deputado Guilherme Delaroli, muitas famílias enfrentam dificuldades financeiras para ter acesso a profissionais qualificados, tornando-se essencial a intervenção do poder público para garantir suporte adequado.

“A capacitação será sobre os aspectos desta condição, como rigidez cognitiva, literalidade, comunicação efetiva, estratégias para situações difíceis e delicadas, acomodações sensoriais, atenção, previsibilidade e ambiente incluso. A capacitação tem o objetivo de garantir autonomia à pessoa com TEA”, explicou Delaroli.



continua depois da publicidade



O programa será composto por uma equipe multidisciplinar de profissionais especializados no TEA, incluindo psicólogos, psiquiatras, psicopedagogos, neurologistas e assistentes sociais. Esses profissionais garantirão o acolhimento adequado e a capacitação necessária para os pais ou responsáveis de pessoas diagnosticadas com autismo.

A Lei 10.366/2024 também autoriza o Estado do Rio de Janeiro a firmar convênios com instituições universitárias para viabilizar o atendimento. A colaboração entre o governo estadual e instituições acadêmicas é vista como um passo importante para garantir a eficácia do programa.

O deputado Delaroli destacou que o período pós-diagnóstico de TEA pode ser estressante para as famílias, muitas vezes associado a níveis crescentes de depressão e ansiedade entre os pais ou responsáveis. O novo programa de acolhimento e capacitação busca mitigar esses efeitos e fornecer um ambiente de apoio para as famílias que enfrentam esses desafios.

Com a implementação do programa, o estado do Rio de Janeiro dá um passo importante para melhorar a qualidade de vida das pessoas com TEA e suas famílias, ao mesmo tempo em que promove a inclusão e a compreensão do transtorno na sociedade.

Matérias Relacionadas

plugins premium WordPress