24.5 C
São Gonçalo
segunda-feira, junho 24, 2024

Maricá: Mais de 3 mil locais foram visitados na primeira ação do mutirão contra a dengue

A Prefeitura de Maricá, por meio da Secretaria de Saúde, vistoriou mais de três mil locais no primeiro mutirão intersetorial de combate à dengue, que aconteceu neste sábado (24/02) nos distritos Centro e Itaipuaçu. Ao todo, 221 agentes comunitários de saúde e de combate às endemias realizaram visitas a imóveis para identificar e eliminar possíveis focos do Aedes aegypti, além de compartilharem orientações preventivas à população. Dezenas de profissionais da autarquia Serviços de Obras de Maricá (Somar), do Centro de Operações de Maricá (Comar) e da Secretaria de Proteção e Defesa Civil também atuaram na iniciativa.

As atividades de vistoria de imóveis, terrenos baldios, recolhimento de resíduos inservíveis e monitoramento de áreas públicas se concentraram nas localidades Manu Manuela (em São José do Imbassaí), Condado e Jardim Atlântico Leste (em Itaipuaçu). Essas regiões foram as escolhidas para o mutirão inicial por terem um número maior de casos notificados, evitando o avanço da doença e interrompendo o ciclo de desenvolvimento do mosquito transmissor.

Em outra frente de trabalho, diversas áreas dos distritos também receberam uma ação específica de distribuição de material informativo para conscientizar os moradores, compartilhando ações diárias a fim de combater os focos do Aedes aegypt. Essa dinâmica ocorreu na Praça Orlando de Barros Pimentel, em frente à sede da Prefeitura, na Rodoviária de Maricá, no shopping Boulevard Maricá, no entorno do Centro Administrativo da Prefeitura em Itaipuaçu, no Terminal Rodoviário do distrito e na Praça do Barroco.

A secretária de Saúde, Solange Oliveira, participou da mobilização e destacou o seu papel no combate à dengue, lembrando que as atividades seguirão.

“A primeira ação integrada teve resultados importantes, com diversos setores públicos somando forças para enfrentar os focos e divulgar as medidas preventivas. Podemos controlar a dengue e é necessária a atuação de todos, contribuindo em casa, nas escolas e em outros espaços. Maricá não vive uma epidemia, mas precisamos evitar o crescimento dos casos, por isso seguimos com os mutirões e o trabalho do dia a dia”, afirmou.

Contribuição coletiva

O trabalho de vistoria dos agentes de combate às endemias é realizado em ciclos contínuos, com a fiscalização de possíveis focos, além de divulgarem ações diárias que devem ser adotadas pelos moradores e esclarecerem dúvidas. Lembrando que a população pode denunciar possíveis focos do Aedes aegypti pela Central 156, onde ela será oficializada e apurada para posterior visita ao local, caso necessário.

Mônica Amaral, moradora do bairro Condado, recebeu os agentes em sua residência e ressaltou o papel da iniciativa para a proteção coletiva.

“Essa atividade é super importante para toda a comunidade local, nos mantendo mais seguros e cientes das medidas preventivas. Por isso, peço que cada um faça a sua parte e siga as orientações dos profissionais para que tudo siga bem”, pontuou.

Mutirões e ações diárias

A mobilização intersetorial de enfrentamento à dengue continua no próximo sábado (02/03), direcionado aos distritos de Inoã e de Ponta Negra, com foco em áreas onde há um número elevado de casos notificados e concentrados. Além disso, na próxima semana, serão abertos polos exclusivos de atendimento aos casos suspeitos de dengue, que funcionarão na Rua Álvares de Castro, 337, em frente à sede da Prefeitura, no Centro, e na Rua Van Lerbergue (antiga 34), esquina com a Rua Elisa Vieira Veras (antiga 52), no Jardim Atlântico, em Itaipuaçu.

Em paralelo a esse trabalho, a Secretaria de Proteção e Defesa Civil segue orientando aos moradores com o envio de mensagens periódicas por SMS e WhatsApp, divulgando ações preventivas contra a dengue. As Unidades de Saúde da Família (USF) continuam promovendo dinâmicas descentralizadas direcionadas aos usuários de cada região, unindo conscientização e busca ativa aos focos.

Nas redes sociais da Prefeitura, a divulgação de materiais multimídia de enfrentamento à doença continua. A campanha “Maricá Contra a Dengue” inclui orientações para o dia a dia, esclarecimento sobre os sintomas e indicações de quando procurar atendimento médico.

Evitar água parada é essencial

O mosquito Aedes aegypti transmite não só a dengue, como também a dengue, a zika e a chikungunya. Para combatê-lo, a população deve manter: caixas d’água, galões, tonéis, poços e tambores vedados; bandejas de geladeira e ar-condicionado sem água; pneus sem água e em locais cobertos; garrafas vazias e baldes virados para baixo; ralos limpos e com telas; vasos sanitários sem uso fechados; piscinas e fontes sempre tratadas; quintal sem lixo e/ou entulho; calhas totalmente limpas; além de ser indicado eliminar os pratos dos vasos de plantas.

Matérias Relacionadas

No Content Available
plugins premium WordPress