Jovem de projeto social é Campeão Estadual de Kickboxing por quatro anos consecutivos

460

Lucas Ferrão, conhecido somente como Ferrão, é o campeão que inspira outros competidores no Projeto Social Resplandecer, na Equipe Família Shekinah de Kickboxing. O jovem, que começou a treinar há cerca de sete anos, sempre foi apaixonado por lutas e artes marciais, desde criança, quando acompanhava UFC na TV e adorava jogos e filmes de ação, de onde tentava imitar os golpes dos lutadores com os primos, com quem brincava.

Apesar do interesse pelas artes marciais, Ferrão não teve a oportunidade de treinar na infância, até o dia em que um amigo o convidou para conhecer o projeto e, desde então, nunca mais saiu de lá. Fato que teve uma grande influência na formação de seu caráter, como o próprio diz, “acredito que isso foi decisivo para minha formação como pessoa, hoje em dia, pois o Kickboxing e, acima de tudo, a família me ensinaram diversos atributos que formaram meu caráter de hoje, e eu não mudaria nada”.

No final dos treinos de Kickboxing, em alguns casos, existe uma parte em que os alunos lutam entre si para aperfeiçoar a técnica e aprender a usar os golpes nas lutas. Essa parte do treino é chamada de “fazer luva”. Ferrão gostava muito de fazer luva nos treinos, o que chamou a atenção de seu professor, André Shekinah, que começou a incentivá-lo a competir, vendo nele um grande potencial, como conta: “Conforme fui progredindo, o mestre André começou a falar mais sobre competir, mostrava vídeos e me levou pra assistir algumas competições e, logo de cara, me encantei e botei na cabeça que precisava competir. Então, treinei muito e comecei a competir em 2016”.

O jovem lutador, de lá pra cá, começou a acumular títulos importantes, tendo se tornado Campeão Estadual de Kickboxing por quatro anos consecutivos, de 2016 a 2019, além de outros, como: quatro vezes Campeão da Taça Guanabara de Kickboxing (2016 – 2019), quatro vezes Campeão Intermunicipal de Kickboxing, duas vezes Campeão José Antônio Ferreira de Kickboxing, Campeão da Copa do Brasil de Kickboxing e ficando em terceiro lugar no Campeonato Brasileiro de Kickboxing.

Em seu primeiro Campeonato Brasileiro de Kickboxing, Ferrão pegou uma chave com dezesseis lutadores, ganhou duas lutas e acabou perdendo na semifinal, o que lhe garantiu o terceiro lugar e ser o terceiro melhor lutador de Kickboxing do Brasil é algo surpreendente, mas o lutador começou a se cobrar ainda mais.

“descobri que precisava treinar muito para ser o campeão, fiquei em terceiro lugar, mas foi uma das melhores competições pra mim, como pessoa e lutador, me fez ter ainda mais vontade de treinar e melhorar”, conta.

Um grande talento que não encontrou, ainda, um patrocinador! Essa é a triste realidade da maioria dos atletas brasileiros. Alguns Estados e Municípios tem o Bolsa Atleta, mas em São Gonçalo, apesar de já ter sido aprovado, nunca foi colocado em prática. E os atletas seguem representando a cidade com recursos próprios. O que poderia ter um resultado muito melhor para a representatividade da cidade, pois Ferrão foi classificado para lutar o Campeonato Sul-americano, mas não conseguiu realizar seu sonho, por falta de recursos.

Competir, para Ferrão, que é faixa azul de Kickboxing, faz toda a diferença na vida de um atleta, que tem a oportunidade de lutar com pessoas diferentes, tentar evoluir, absorver o máximo de conhecimento a cada disputa, sempre se superando, “Não conseguiria ser o lutador que sou hoje se não tivesse competindo. Gostaria de agradecer ao mestre André, que me mostrou o mundo do Kickboxing e sempre acreditou em mim, a minha família que sempre me deu suporte para competir e, também, minha namorada, Mayara Silva, que sempre me acompanha nas competições e me apoia nos momentos mais difíceis!”, declara o campeão.

O Projeto Social Resplandecer fica no Porto Velho, em São Gonçalo, e oferece, além das aulas de Kickboxing com a Família Shekinah, que faz parte da AOCTT (Associação Oliveira & Castilho Top Team), aulas de Jiu-Jitsu, Taekwondo, Balé, Artesanato e acompanhamento psicológico, entre outras ações.

Encerro com um pensamento que o jovem lutador, Lucas Ferrão, leva pra própria vida, passa para os amigos de equipe e compartilha conosco:

“Muitos se acham fracos ou incapazes quando são derrotados, mas o verdadeiro lutador sabe que se aprende bem mais com a derrota do que com a vitória, então nunca desista, se esforce e tente sempre ser melhor do que ontem.”

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.