28.9 C
São Gonçalo
terça-feira, junho 18, 2024

Ex-vereadora de Niterói, deputada Talíria Petrone recebe escolta após sofrer ameaças de morte de miliciano

A deputada federal pelo Rio de Janeiro, Talíria Petrone (Psol), recebeu escolta da Polícia Legislativa, desde o último sábado (15) após receber ameaças. A parlamentar está de licença maternidade e em isolamento social.

“É um ataque frontal à democracia. Eu, como parlamentar eleita, ser ameaçada com o intuito de limitar minha atuação política. Ainda mais eu estando afastada exercendo meu direito à licença maternidade. É lamentável. Preservar a democracia, não é um problema meu, mas de todas as instituições”, afirmou a parlamentar ao G1.

“O nível de violência política que o Brasil se encontra é inaceitável. De imediato, a gente está tomando, junto aos órgãos responsáveis, todas as medidas para a garantia da nossa segurança. Sem dúvida, esse ciclo só é interrompido derrotando a política do ódio e nós faremos isso”, completou Talíria.

É a segunda vez que a deputada precisa receber esse tipo de segurança. A primeira vez foi em abril de 2019 e a escolta foi suspensa por causa da pandemia do novo coronavírus (Sars-Cov-2). A decisão de acompanhamento policial foi tomada após o Disque-Denúncia encaminhar novas ameaças à Câmara dos Deputados. A equipe de proteção foi encaminhada para Niterói, na Região Metropolitana do Rio.

De acordo com informações apuradas por Lado de Cá, a deputada estaria sendo ameaçada por um miliciano de dentro de um presídio. A equipe da parlamentar, junto com a Polícia Legislativa e as autoridades estaduais, está apurando a origem das denúncias e analisando quais outras providências deverão ser tomadas.

Matérias Relacionadas

No Content Available
plugins premium WordPress