23.9 C
São Gonçalo
domingo, junho 16, 2024

Assédio e violência: jovem acusa chefe de ter atirado nela por se recusar a ter relacionamento com ele

Nathália foi socorrida no Hospital Alberto Torres, no Colubandê, e passou três dias internada no CTI (Divulgação)

Nathália de Assis, de 19 anos, moradora de São Gonçalo, acusa o seu patrão de atirar nela por ela não ter aceitado ter um relacionamento com ele. A jovem chegou a ficar três dias internada no CTI.

Segundo Nathália, o autor do disparo foi Alexsandro Menezes, dono de um restaurante onde ela trabalhava.

Alexsandro é acusado de ter atirado na jovem (Foto: Reprodução/Redes sociais)

“Não esperava essa reação, nunca ia esperar que ele ia puxar uma arma pra mim. No mínimo que ele ia gritar, discutir, ou até mesmo usar a força dele. Mas nunca esperava que ele estaria armado naquele momento”, contou a vítima ao G1.

 

Nathália diz que Alexsandro, mesmo sendo casado, insistia em ter um relacionamento com ela, mas ela não queria.

“No começo ele falava: ‘Eu era apaixonado por você’. Aí, depois começou: ‘Eu não vivo sem você, eu não consigo viver sem você’. Se mostrava muito possessivo, se mostrou muito doentio, e a gente só tinha ficado duas vezes. Então, era uma coisa sem explicação, não tinha como entender.”

Ainda segundo Nathália, Alexsandro descobriu que ela estaria numa festa no bairro Parada Quarenta, também em São Gonçalo, no último dia 11. E que depois de recusar mais uma vez se relacionar com ele, Alexsandro atirou contra a jovem.

“Ele falou pra mim assim: ‘Você não vai ser minha?’ Eu falei: ‘Não, você tem mulher’. ‘Então vou arrumar outra na rua’. Eu falei: ‘Pode arrumar’. Ele puxou a arma e falou: ‘Tá achando que isso é de brinquedo?’ Eu falei: ‘Isso é uma arma’. Ele chegou, apontou a arma pra mim e atirou.”

A jovem foi socorrida pelo próprio Alexsandro e um amigo dele, que estava no momento do disparo. Os dois a levaram para o Hospital Alberto Torres (Heat), no Colubandê.

“Ele entrou no hospital falando que eu não ia conseguir provas que ele me deu o tiro. Que na rua não tinha câmera, tentou falar ‘eu gosto de você, eu te amo, não foi por mal’, tentando fazer a minha cabeça para que dissesse que não tinha sido ele”, contou.

Nathália já foi ouvida pela delegacia de São Gonçalo, que investiga o caso. Alexsandro e o amigo serão ouvidos pela polícia na semana que vem.

A Secretaria de Estado de Saúde informou que a funcionária que acompanhou a visita de Alexsandro ao CTI do hospital – segundo a Nathália, para intimidá-la a não fazer a denúncia – foi desligada da unidade. Disse ainda que intensificou a segurança na entrada do setor.

Matérias Relacionadas

No Content Available
plugins premium WordPress