19.9 C
São Gonçalo
terça-feira, julho 23, 2024

Projeto sobre grafite em Itaboraí é contemplado pelo Governo do Estado

Alguns projetos da Liga Independente das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Itaboraí têm mudado a vida da população de Itaboraí (Foto: Divulgação)

A Liga Independente das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Itaboraí tem motivos de sobra para comemorar. A entidade, ao longo dos meses, tem implantado diversos projetos para a população de Itaboraí e obtido amplo sucesso nas ações.

A vitória mais recente foi anunciada por meio do presidente, Leandro Mesquita, que não esconde a felicidade em ter o Projeto Laranjas da Terra contemplado no Edital Rua Cultural RJ, que tem como patrocinadores, o Governo do Estado e a Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa.

A proposta trata de ambientações urbanas na cidade de Itaboraí, utilizando-se das linguagens artísticas de arte urbana do grafite (graffiti).

O Projeto Laranjas da Terra foi uma idealização do presidente da Liesi Leandro Mesquita junto com os artistas Célio Salvatto, mais conhecido como Alma, e Emanuelly Araujo, conhecida como Pink, ambos residentes do município de Itaboraí e contará com a colaboração dos multiartistas Lucas Nascimento e Vinícius Borges.

“Temos por intuito, o resgate da memória e autoestima da cidade, contando um pouco da história aos moradores por meio da arte, aproximando a educação ao movimento cultural do hip-hop e trazendo um colorido especial a uma área que há anos encontra-se carente de intervenções artísticas do tipo. Será realizado um grande painel que contribuirá como legado dos grafiteiros da cidade, enaltecendo a cultura itaboraiense e fortalecendo a cena cultural hip-hop na modalidade da escrita”.

O layout produzido pelo artista Célio Salvatto, conta linearmente alguns marcos da história da cidade de Itaboraí, o desenho inicia-se com a figura de embarcações ancoradas em um porto e um casarão, relacionando ao contexto de Porto das Caixas, como descreve o hino do município Portas abertas para o mar.

A simbologia amarela com ruínas ao fundo no lance de figuras seguinte retrata a grande epidemia da Febre Amarela

na cidade devido ao desmatamento provocado pelas atividades econômicas do porto. Com a produção de laranjais, a cidade pôde então destacar-se com rápida produção agrícola e reerguer-se dos prejuízos anteriores. Retomando-se a

economia, iniciou a tradição da olaria como forma de expressão artística e fonte de renda. O espaço escolhido é um grande muro de Cerâmica São Joaquim (importante símbolo e atividade desenvolvida no eixo Itaboraí – Tanguá – Rio Bonito), às margens da principal Avenida de Itaboraí, a Av. 22 de Maio.

“A Liesi investe em projetos pioneiros, ousados e que produzem resultados, como o Projeto Laranjas da Terra que tem o objetivo de fortalecer os artistas homens e mulheres jovens e adultas, utilizando-se das linguagens artísticas de arte urbana do grafite (graffiti) como garantidor de que serão protagonistas do combate ao preconceito, à violência, à discriminação e aos estereótipos”, comentou o presidente da Liesi.

Para mais informações siga a pagina do facebook da Liesi Itaboraí.

Matérias Relacionadas

plugins premium WordPress