28.2 C
São Gonçalo
terça-feira, setembro 28, 2021

Jornalista mostra os 20 anos do atentado de 11 de setembro em documentário

Leia Mais

Aposentado trabalha há 5 anos como gari recolhendo lixo jogado por motoristas na BR-101, em SG

Morador da Favela do Pica-Pau, no Porto Velho, em São Gonçalo, o aposentado Messias Ramos de Marins, de 53 anos, passa suas manhãs realizando...

Governador Cláudio Castro recebe segunda dose da vacina contra a Covid-19

O governador Cláudio Castro recebeu a segunda dose da vacina contra a Covid-19, na manhã desta terça-feira (28), no quartel do 17º Grupamento de...

Dupla é presa após roubar cavalos na BR-101

Dois homens foram presos, nesta terça-feira (28), após roubarem dois cavalos de um curral às margens da BR-101, no bairro Pinhão, em Tanguá. Segundo a...

Buraco causa transtorno em Santa Catarina, São Gonçalo

Após receber reclamações de moradores, uma equipe de reportagem do LADO DE CÁ esteve na manhã desta terça-feira (28) na Rua Doutor Jurumenha, em...

A série documental “Retratos de uma Guerra Sem Fim”, do jornalista Marcos Uchôa, lançado neste sábado (11) no Globoplay, relembra os atentados de 11 de setembro, nos Estados Unidos, em 2001, que marcaram a história do século 21.

Quando ocorreram os atentados, Uchôa, que era correspondente da Globo em Londres, assistiu aos ataques pela TV, no escritório da emissora, ao lado de Sandra Annenberg e Ernesto Paglia. Ele havia voltado dois dias antes de Nova York, onde acompanhou a participação de Gustavo Kuerten, o Guga, no US Open Tennis.

O jornalista lembra que os colegas pediram para ele ficar mais uns dias em Nova York, mas ele decidiu de retornar a Londres porque ainda estava um pouco irritado de ter interrompido as férias no Recife para cobrir o torneio de tênis: “Eu devo dizer que tenho muita sorte na minha carreira, mas esse foi um azar enorme e foi um azar meu, porque me pediram para ficar e eu falei não”, diz rindo.

O jornalista diz que a ideia do documentário é mostrar o que aconteceu com os feridos, como as pessoas estão vivendo sem casas, a economia, a reconstrução de vilarejos inteiros destruídos por guerras e a questão dos refugiados internos e aqueles que cruzaram a fronteira para outros países.

“Tem todos os refugiados internos, as pessoas não conhecem esse lado. Por exemplo, (pessoas que) moravam em Belo Horizonte e tiveram que fugir para Recife”, explica o jornalista.

Muitas das imagens da série foram feitas para reportagens da Globo, mas não foram utilizadas e ficaram guardadas por anos.

Notícias Relacionadas

DEIXE O SEU COMENTÁRIO

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Últimas Notícias

São Gonçalo oferece aulas de taekwondo

A Secretaria de Esporte e Lazer (Semel) segue promovendo a realização de atividades esportivas em diversos bairros do município, implementando, nos primeiros seis meses,...

Um baleado e outro preso no Complexo do Salgueiro

Um homem foi baleado e outro preso em ação da Polícia Civil na Rua José Francisco Corrêa, bairro de Itaúna, Complexo do Salgueiro, em...

Praga do Rio chega ao interior: furto de cabos e equipamentos

A rotina criminosa de furtos de cabos e equipamentos que assola a capital do estado - com vários sinais de trânsito inoperantes e afetando...

Moradores jogam lixo na rua por falta de caçamba no Largo do Barradas em Niterói

Mau cheiro, baratas, moscas, ratos e uma quantidade de lixo fazem parte do cotidiano dos moradores da Rua Reverendo João Corrêa D'Avila, no Largo...

Donos de veículos com placas finais 1 e 2 têm até quinta (30) para regularização

O licenciamento anual de veículos para carros com placas finais 1 e 2 termina na próxima quinta-feira (3). Os proprietários precisam pagar a Guia...